Como fazer um planejamento estratégico para a sua empresa?

Essencial para se diferenciar no mercado e atingir resultados com excelência, fazer um bom planejamento estratégico é uma prática básica e primordial adotada nas empresas em todo o mundo, uma vez que possibilita uma melhor sinergia e comunicação entre clientes, empresas, funcionários e público-alvo. 

Para fazer um bom plano, é necessário levar em consideração alguns aspectos como análise do ambiente externo e interno, demarcação de metas, objetivos e indicadores de resultados. Após essa etapa, é fundamental executá-lo adequadamente e monitorar resultados continuamente.

A definição da chamada “MVV” (missão, visão e valores) de uma companhia deve ser amplamente conhecida a fim de permitir que o planejamento prossiga em concordância com estas políticas. Esse ponto é essencial para que o planejamento mantenha o alinhamento a longo prazo, além de respeitar os fundamentos da organização.

A segunda etapa é definir o caminho que se deseja seguir, bem como estabelecer os objetivos a alcançar. 

A etapa seguinte, é buscar conhecer profundamente os recursos da organização, uma vez que boa parte do sucesso do plano dependerá deles. Vale colocar aqui também, a importância em analisar, por exemplo, se os processos da empresa estão claros, se e quanto as pessoas envolvidas estão motivadas, se as instalações estão adequadas e se produtos são de qualidade.

Após isso, é preciso fazer uma lista com os principais recursos necessários a fim de alcançar as metas e os objetivos, analisando sua adequação aos pontos fracos ou fortes da companhia.

Em sequência, a lente de aumento deverá focar o ambiente externo, pois ele influenciará as ações empresariais, devendo-se pensar previamente em questões como surgimento de novas leis, crises econômico-financeiras e / ou mudanças de hábitos de consumo.

Este “ambiente externo” deverá ser visto em 2 aspectos distintos: o “macroambiente” (questões mais distantes como a economia num geral, aspectos legais ou tendências de mercado) e o “ambiente de tarefa” (questões mais próximas, como concorrentes, clientes, órgãos reguladores e fornecedores).

Análise dos pontos acima deverá ser detalhada, para que se encontrem ameaças e oportunidades a serem consideradas no plano. 

Uma atenção especial deve ser dada aos clientes / público-alvo, a fim de fidelizá-los. E para isso, será necessário entendê-los, para que se possa traçar uma estratégia de engajamento mais eficaz, fazendo dessas informações, um ponto forte mercadológico, representando uma vantagem relevante em relação aos concorrentes.

Por esse motivo, é crucial entender seus hábitos de compra, analizando aspectos como:

  • demográficos: sexo, idade, classe social, raça
  • geográficos: país, estado, cidade
  • comportamental: benefícios buscados, atitudes
  • psicográfico: valores sociais, estilo de vida, visão de mundo

O próximo passo está na construção de um relacionamento bom e inteligente com profissionais da imprensa, uma vez que de nada adiantaria todo o esforço para se  diferenciar se isso não foi comunicado ao seu mercado.

Para executar um plano de ação, existe uma ferramenta utilizada, chamada de 5w2h, que é originada das seguintes palavras em inglês:

  • What (ou o que será feito?) 
  • Why (ou por que será feito?) 
  • Where (cuja tradução é “onde será feito?”) 
  • When (quando será feito) 
  • Who (por quem será feito?);
  • How (como será feito?) e
  • How much (quanto vai custar?)

Após isso, é necessário monitorar resultados para que se possa enxergar o que está saindo de acordo com o planejado e o que precisa de ajustes. Para tal, é fundamental implementar as ferramentas a serem usadas neste monitoramento, e alinhar com os colaboradores.

Uma boa opção para avaliar o andamento do planejamento, é a adoção de cronogramas, bem como usar o chamados “KPIs”, ou os indicadores-chave de desempenho, dos quais podemos salientar como os mais importantes:

  • Absenteísmo
  •  NPS (nível de satisfação dos clientes) 
  • Lucratividade
  • CHURN (evasão de clientes)
  • ROI (retorno sobre o investimento)

Por fim, é possível se fazer a avaliação dos resultados e então manter ou alterar ações com base nesta informação. Para que isso ocorra, é primordial arquivar todo e qualquer resultado, para que possam ser consultados no futuro, tornando-se base para estudos futuros.

Nós, do escritório FS Canutto Advogados, seguiremos compartilhando informações importantes durante este período, alertando sobre possíveis mudanças, leis e impactos na economia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curitiba

R Padre Anchieta, n° 2.285, cj.1006 – Curitiba/PR 

São Paulo

Rua George Ohm, n° 230, cj. 101 B – São Paulo/SP

Contato

(41) 98881-3923

contato@canutto.com

Atendimento

De segunda a sexta-feira das 9h00 às 18h00

© 2019 Canutto Advogados – Todos direitos reservados. Desenvolvido por 3MIND

Open chat